Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Por mais que você não exista.

Quando não há mais chão debaixo dos pés ,
quando os olhos mendigam brilho,
respirar é em vão e me desespera ,
eu penso em como seria bom telo por perto.
ainda que você não exista,
no fundo nos dois sabemos
que se trata de alguém que me decifra sem me ouvir,
que saiba quando estou mentindo,
ou que simplesmente me de atenção e seja sensível na minha dor.

Há uma casa vazia dentro de mim,
na espera de novos amores,
há um quarto escuro ambulante sobre minha cabeça,
você se afasta as flores amarelas secam,
os quadros caem das paredes ,e a parede também.

Viver sorrindo me tornaria alguém que nada é,
que nada sabe,e não pensa na existência,
ainda que para isso me julguem louca,
ou eu mesma me aceite assim.

Embora você não exista...ainda penso
o quanto seria bom ouvi-lo baixinho aos ouvidos
dizendo que esta tudo bem,
e que não vai se cansar de minha amargura...
o desespero te trouxe aqui querido
eu te sinto ,te ouço ,te vejo,
mais não sei se és real.
ou se sou eu que não sou...

Me sinto caminhar na mesma direção
de mãos dadas ao escuro,
caindo em meio aos vácuos
e já gozando da situação.




Tentativas em vão de me prender no momento,
e negligenciar um futuro próximo diante dos olhos,
as horas passam, pois não há o que chegar
tudo o que quero. além da sincera compreensão,
é meu mundo sozinho.cobertor .corpo e silencio.




Além de um espelho grande ,
com um reflexo imutável
para me fazer companhia ,
entre seus mistérios intrigantes de vidro
faço minha filosofia.

E por mais que o mundo me de rosas
minha mente veras sempre seus amargos espinhos
roçando na minha pele clara,
e todos me olham como quem vê mais um corpo
a desfilar na cidade,
mau sabem das almas que vejo ambulante nas ruas
ao invés de vitrines,
sorrisos que nada dizem de si mesmos...

E eu ainda penso o quanto seria bom,
te ter aqui...por mais
que você não exista.

Rebeka(Becky)



sábado, 6 de novembro de 2010

Entre a meia noite...



Meia noite,como ontem foi,
e amanhã será,a noite estrelada?
não sei,janela fechada,
mas a lua e as estrelas estão lá,
a noite linda como és,
e como sempre será,
e é até mais gostoso imaginar,
a lua posso mudar de lugar,
coloca-la acima dos olhos,
tocar na noite e me cobrir de estrelas.



Batendo a porta do quarto,
mudando a frequência do radio,
fazendo dos problemas pouco caso,
arquivando na mente,
a memoria do meu dia inteiro,
comprimentando o travesseiro,
convidando o cobertor
para se entrelaçar comigo mais uma noite,
no dever de me aquecer...



E neste momento,
em que meus olhos se fixam no teto,
é hora marcada com a solidão,
mais hoje não to pra visitas,
tristeza que me perdoe
e agende outro horário...
Ela bateu a porta e eu não abri,
se ela não desistir,a trancarei em letras,
e a transformarei em versos.

Me viro de um lado para o outro,
o mundo fala baixinho,
vou me despindo do cansaço
e sem beijo de mãe nem abraço
vou me distanciando da razão,
e aos poucos dos sons e ruídos da casa.



Já no ápse da metamorfose da noite
em que corpos em fantasmas se transformam


cruzando e desviando
de sonhos alheios,
me achego ao meu espírito.

E meus olhos já fechados...
novos cenários,pessoas,
flutuando no inconsciente
onde árvores tem mãos,
e minha casa muda de endereço.

Eis que do escuro surgem cores,
unidas,misturadas,distintas,
vibrantes formas,
cuja beleza não se via com os olhos abertos...

Já estou dormindo,e ate aqui,
entre um sonho e outro,
vai se formando poema.

REbeka K.(Becky)