Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 23 de outubro de 2011

Meus olhos.

Meus olhos.
em sua mais pura essência.
olhos ligeiramente tristes e amargos..
singelos e humildes.
olhos de lua cheia.
aqueles dois olhos cheios d’ água,
cheios de drama..
desabando por um triz,
mas refletindo o clarão dos teus.

Rebecca Morac.

sábado, 6 de agosto de 2011

Aquele que Deus não criou

Sinto me o gelo a neve o incolor,
o muro ,a porta entreaberta,
o Vento na rua soprando gelado nas costas do aleijado .

Sou os cantos e a poeira,
sou cantigas simples,besteira,
sou a penumbra dos vales,
e nos mais calmo dos mares
sou a escuma que se desfaz.

Sou incerteza de mulher,
sou a poça d´agua que molha o pé,
e o vento que bagunça os cabelos penteados das moças vaidosas.

sou a traição distração de namorados,
sou tijolos que aindam quebrados
se fazem castelos ,minha morada.

E se um pouco a mais de fúria,
sem evasivas ou frescura,
seria a lepra contagiosa,
seria a gorda feia horrorosa
debruçada a janela sorrindo dos dentes pra fora.

Homem sou,
em toda sua rusticidade,força.covardias..
algo de imperfido,imoral,e egoísta
nas mentiras..no choro miúdo apertado,calado,
em tentativas falias de surpreender.

Sou herdeira que não herdara,
sonhador que esqueceu de sonhar,
reino partido,espírito banido,
coração ferido ,semblante sombrio caído..

Uma velha,vela a se apagar
ranzismo inercia ,mais nada a tentar,
Meus olhos pra cima,se queimam ao sol,
sou fim de ferias,pipa com cerol.


Serei eu as flores nos túmulos a secar,
sou a dor da mãe ,sangrando a chorar,
sou o silencio o vácuo que paira no ar,
sou a árvore queimada ,que não florescera.

Já desembainhei a Bainha que corta fulminante,
já desarmei meus medos,
me despi dos segredos,olhei me em instantes,
paralisei,chorei,surtei ,olhei,calei,
a roupa suja no chão ,a cama desforrada o espelho quebrado,
abajour ligado no armário,
tudo parte do mais miserável cenário,
daquele que não foi milagre ,amor ou amado..
e sim mais um poema desalmado.

Onde ele se risca,onde ele se corta
ele se enforca.. nas cordas de minhas palavras.


Rebecca Morac.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Hoje

Me debrucei a janela e invoquei teu nome inúmeras vezes,
o som da chuva torrencial camuflava meu choro miúdo,
O vento sopraria e eu pensaria em você,
e em todas as vezes que me abraçou com ternura,
fazendo me abandonar este mundo amargo ,
que tanto resisti lágrimas..
recordo em papeis os dias passados,
quando o ódio me cegou,
e você me fazia ver,
eu morreria em teus olhos..

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Menino..

Ah menino,
não queira ou goste,
azar ou sorte,
ainda me tens.
Me fascino,dobro,desdobro
reviro de oscilações pecaminosas ao teu respeito
Imploro.por Zeus!explica-te
o teu olhar,tua fisionomia,
algo reservas?
talvez um brilho nos olhos
ou um risinho no canto da boca,
Agora,Pecados outrora banidos vêem a tona,
me de a Mão ,juntos na contramão ,
num canto,um beijo,um tango,
um manto que encobre do frio,
musica do amor nos envolve..para!
não move,chove,chuva torrencial,
alegra,afeta,atrai,cura e retrai todo o mal,
o mal de estar sem você .

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Quero que saiba..

Me de a mão vamos caminhando na constelação ,
saltando no espaço em meio ao vão ,aqui todas as estrelas são suas meu bem, vamos a Vénus e Júpiter Também.




Se vista de flores e venha até mim,
já paira no ar teu cheiro de jasmim,
morda os lábios e me enlouqueça
rasga o véu do céu sobre a minha cabeça .



Quero que hoje ao dormir oh princesa,
feche os olhos e tenha a certeza,
que no mundo inteiro
és a mais amada,
e em meio de tantas a minha estrada,
nada se iguala ao meu amor,
a esses traços sensuais que só
este teu corpo tem,
corpo que agora desenho,entrelaçado com meu.



Você caminha conforme meus passos,
você dança na batida ofegante do meu coração ,
tens um balsamo nas mãos,
carrega as praias mais belas no olhar,
Ah,os potes de ouro
não se encontram ao fim do arco Íris,
mais sim a cada fio de cabelo dourado teu!



Quero escorregar minha mão na sua cintura,
quero te abraçar sem medo com ternura!
quero ir mordendo teus lábios assim..lenta!
quanto mais eu beijo mais o beijo aumenta!



Eu ficaria trancada numa cova
como Daniel e os leões ,
até arrancaria forças de meu interior
como a de Sansão ,Tudo para manter a exótica mistura
do teu perfume com o meu,Tudo para encantar a filha de Zeus,
nem os anjos carregam tanta inocência no olhar, toda a paz ausente no mundo, estão no brilho destes olhos!



Quero que hoje ao dormir oh princesa,
feche os olhos e tenha a certeza,
entre tantas que há na Terra
você é a mais bela.



Rebecca Morac.

domingo, 8 de maio de 2011

Tudo bem..

Sim!Estou bem
exceto pelo tédio que paira no espaço ,
Fora o desprazer de respirar,
fora as horas mal vividas de minha vida..
Fora as magoas diarias,
Fora a pobreza instalada,
Fora o luto na favela, a injustiça do pais,
a Barriga vazia,
Fora as armas de fogo ..


Estou bem,posso ate sorrir..reprimindo minhas feridas abertas
e o grito preso na garganta, mesmo que a minha arte esteja sendo prejudicada
com essa fama de louca e dissimulada..Estou bem!
Fora minha sensibilidade aflorada,
Fora as ambições e necessidades que nos robotizam cada vez mais,
Fora aquela agonia e inquietude,
Fora a sensação de asfixia
numa dimensão de tristeza elevada de mais
para uma só noite..

Ignorando meu fracasso,
meu silencio,quando o que eu queria era confessar
gritar publicamente o que trago em mente...
Fora a ausencia do encanto..
o meu orgulho,a minha necessidade de me afastar discretamente
pela porta de saida e nao voltar jamais.

Fora o preconceito,a violencia,
o medo de andar sozinho a noite,
Fora a falta de amor ,
e o temor a Deus..


Fora o ruído das maquinas que cansam,materializam,afastam a alma,
Fora minha indecisão e a Futilidade a cada sorriso mecanizado.
Fora a dor no peito e a vontade de chorar!
Fora isso..tudo isso.
Eu estou bem sim.
e você?


Rebecca Morac.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Além da Vida

Oh querida,hoje pela manhã a vi bater em minha janela,
novamente com aquele vestido branco longo de seda,
e nessa manhã me recusei a chorar,
ou gritar seu nome pelos corredores da casa,
e por mais que você esteja longe,eu sempre vou confiar em você ,
e eu sinto que jamais terei o que é meu de volta.



Depois que me perdi de você
ando trocando olhares a vida,com os olhos fixos na lua,
a sua morada no céu,de dia perdida,
na noite acordada,
revejo fotos com emoções eternamente guardadas neles,
contemplando nossos loucos momentos,
em que minhas mãos ainda alcançavam as tuas,
aquela noite de inverno..
quando o segredo já nem era secreto,
e você louca,
por tudo que eu lhe confessava,
e já louca por cada traço do meu corpo..


Tento me desgarrar de você e sair desses momentos de pura ilusão ,
saiba que mesmo que estejamos longe,eu sempre vou confiar em você,
mas eu sinto que jamais terei o que é meu de volta..
Amor!olha , São botões de flores amarelas,
que florescerá aqui,a cima de você,querida..eu só vim para te falar..



Eu te vi La pelo oceano,
um espírito lindo e avassalador,
vi o fogo queimando sobre suas mãos ,
e sua pele permanecia ilesa,
você aquecia toda a paisagem com o calor do seu corpo,
num lugar liberto e perigoso como você,
onde cavalos selvagens cavalgam,e os girassois lhe cobriam os pés ,
onde amor e sexo se confundiam.


Amor,o além formou uma conspiração com o universo
para eu não deixar de te amar nessa Terra,
nem um minuto sequer,
e até então só vejo seus olhos por todo lugar,
em toda essa vida de pura ilusão,
em cada palavra que digo,em todos os versos rimados,
todos os sonhos sonhados,cada pensamento alado.



Agora ando perdida de saudades,
ela deixa minha face assim. descontente.
Brisa de saudades e revoltas bagunçam meus cabelos,
perturbada por loucas alucinações,
tristeza no olhar é o resultado da tua ausência,
compus sete poemas de ódio em pensamentos.versos insanos,
desejos sufocados,fim trágico,frases de dor,pesadelo rimado,
é o que acontece com alguém que profundamente ama,quem não voltara.

Rebecca Morac.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Isaque


Um sinal no tempo,eu perdi minha vida Isaque.

só esqueci de morrer... estou guardando lembranças no interior , um amor ferido. Eu sei que ,estou mais do que triste, e mas, hoje estou engolindo palavras , uma única lágrima e estamos longe! longe e arruinados! Eu nunca acreditei que eu fosse... uma espécie de santa de milagres capaz de tirar seu ódio do olhar,ou fazê-lo mudar, nunca o pedi,mais assim fizeste no único impulso de me acompanhar... Você precisa de mim,tão distante do inferno , tão distante de você, e ate o céu esta cruel, preto e cinza. e eu não entendo o porque, ÉS apenas mais um que se vai... porque querido? porque? porque a flora morre? porque Isaque? Estava tudo tão estranhamente bem. Até eu ler sua mente, eu não tinha intenção.. saber das suas Isaque,se tornou cruel! queria explicar,mas isso leva tempo, se isso é um crime, como posso me sentir tão leve? Tudo bem,espero nos encontrarmos novamente, para pedirmos perdão e rabiscar o sol poente. e eu sei que quando a dor passar, recordarei o telefone tocando cedo, só para me dizer bom dia! Cale-se garoto,você aprontou e eu te mandei pro fim da fila! desculpe-me mas você me deixou triste! o que posso fazer? Não me olhe assim , com esses olhos verdes indecentes tentando me reconquistar, você esta pegando suas coisas, nervoso diz como e difícil partir, mas eu sei que você espera que eu te beije e que isso é um showzinho. As luzes apagaram-se para nós , eu não vejo motivos para você chorar, embora meus olhos ocultam água, mais já vi este filme antes, Deus sabe o que eu tentei,por favor não encene mais. Por dentro me desespero,a verdade nua e triste, você não pode ver isso com meus olhos, este eh nosso ultimo contato sobre nÓs ! Não tem retorno. Meu coração está em chamas,meus olhos ardem, minha alma está pegando fogo, acredite em mim... esta chovendo muito e você esta indo sem se despedir , desapareça no temporal! mais rezarei pra que chegues ileso... Eu vou enlouquecer Isaque!vou enlouquecer! Você me apronta, e teve que ir , você me deixa louca! Nos mais deprimentes dos sentidos! E Lá se vai meu antigo amor, aquele tipo de homem, escraviza uma mulher, aquele tipo de paixão manda garotas para a sepultura. agora eu nunca,nunca,nunca mais serei a mesma. Rebecca Morac.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Horas vagas e vazias...

Horas vagas e vazias..
Experimento e me aproximo de sentimentos vazios
angustiantes e pertinentes
que me trazem certa dimensão de tristeza.



Todo o dia, a todo o momento na calada da noite
no silêncio da tarde da casa vazia,
no decorrer da rotina banal
e na prisão do meu quarto,
sinto-me descompensada.



Sinto, ouço, mas não o vejo.
Pra onde me levarás ó lembrança
ó pensamento... Porque insiste em me perturbar
ao ponto de me causar tanta dor?




Porque me bate a porta
já te falei que não és Bem vinda aqui.
Como irei me libertar de algo
que não apenas depende de mim?
Continuarei te ignorando como fui até aqui?
Sinto, ouço, mas não o vejo.




Pra onde me levarás ó lembrança ó pensamento.
Porque insiste em me perturbar ao ponto de me causar tanta dor?
Porque me bate a porta já te falei que não és Bem vinda aqui. ..



Como irei me libertar de algo que não apenas depende de mim?
Continuarei te ignorando como fui até aqui?
Repousarei na imensidão
das coisas desconhecidas
que eu não sei dizer...


.