Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 4 de dezembro de 2010

A beira mar...



O céu estava tenso,
as ondas bailarinas do mar ,dançavam escandalosas,
você passou por mim como quem foge de si mesmo,
me fez acreditar que sua alma era ainda
mais triste e vazia que a minha...



Pela manha eu havia jurado a mim mesma de morte,
e amaldiçoado este mundo medilcre,
que tanto resisti lágrimas ,
o mundo me aponta portas e caminhos,
a minha única vontade é de fechar os olhos
e ouvir minha alma chorar assustada ,
de olhar, a olhar ,um novo tratamento,
novas pessoas te moldando,te asfixiando,
e dizendo o quanto o ama.


Esta manha me jurei de morte,
mais na beira do mar ,
esbarrei em você sem pensar,
você sorriu por dentro eu sei,
embora o rosto nada revela se.

E eu sei que alguma coisa mais forte
alem da razão inundou a praia neste momento.

No momento em que nossos
olhos se reconhecem
tristes e amargos ,
nossos lábios já estão tão próximos ,
que sela –se um beijo desta casualidade,
antes mesmo de uma fala,
um sorriso sequer,
uma caricia,
nenhum laço afetivo.
somente o mar vivo e a praia deserta
nos incentivando.

E a um passo seu ,meu mundo desaba
e aquela vivacidade e paz
já esta distante léguas de mim,
sem sequer que eu saiba o nome deste desfrute!

Becky (continued)


Nenhum comentário:

Postar um comentário